Sintonize
Estudantes do IFRN levam festival de cinema para as areias de Pipa
Realizado na próxima lua cheia, festival gratuito “Sintonize” inclui oficinas, debates, minicursos e mostras de filmes; meta do evento é integrar a população da região
Cedida
Festival “Sintonize” acontece entre 27 e 29 de julho – na próxima lua cheia

Três dias de programação gratuita à beira-mar, com mostras, oficinas e muito debate sobre cinema e produção audiovisual. Assim será o festival “Sintonize”, que acontece entre 27 e 29 de julho – na próxima lua cheia, portanto – em Pipa, no litoral sul potiguar.

O evento, que acontece de maneira colaborativa, é realizado por estudantes de um curso oferecido a toda a comunidade pelo Câmpus Natal Cidade Alta do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRN). A atividade é coordenada pela professora Mary Land Brito.

A professora explica que o curso é baseado em três fundamentos: prática como metodologia de ensino, reconhecimento do saber do aluno e autoconhecimento no ambiente de trabalho. A partir desse tripé, os estudantes estão tendo a oportunidade – com o apoio de outros professores e servidores do instituto – de promover um festival de cinema em todas as suas etapas.

E diversos conhecimentos estão sendo exigidos dos alunos. “Fazer um festival à beira-mar é um desafio, pois são necessários outros conhecimentos, sobre tábua de maré, clima, movimento das ondas… fora o de produção cultural”, diz a professora.

Para dar conta de todo o trabalho, a professora Mary Land formou três turmas: duas em Natal e uma em Pipa. “As três turmas, juntas, estão fazendo o festival”, explica ela, acrescentando que a escolha de Pipa foi estratégica, sobretudo pelo caráter gratuito do festival.

“Pipa faz parte das minhas raízes culturais. Faço parte da praia desde criança e sempre percebi que os eventos não contemplavam a periferia. Essas pessoas não têm condições de pagar. Então, como o IFRN tem essa característica de sair dos muros do instituto, levamos o festival para Pipa”, complementa.

O festival – que tem programação prevista para o dia todo – inclui oficinas, minicursos sobre produção de vídeos, rodas de conversa na orla e exibição de filmes. A meta é promover envolvimento com a sociedade, propagando também conhecimento.

Sobre as produções que serão exibidas, uma equipe de estudantes está em contato com distribuidoras para fechar o catálogo. Os curtas e longas serão selecionados também a partir das obras enviadas por outros festivais de cinema do Rio Grande do Norte, como Goiamum, Mostra de Cinema de Gostoso e Cine Natal.

A escolha está sendo feita de modo a atender aos anseios da população. “O objetivo é integrar os moradores de Pipa. Tanto que o pessoal está fazendo pesquisa para saber que tipo de filme a população quer assistir”, emenda a professora.

Cerca de 100 pessoas estão envolvidas no projeto, entre estudantes, professores, servidores e colaboradores externos.

A tela vai ser montada em frente aos barcos da praia do Centro. E a curiosidade é que a plateia poderá assistir aos filmes de qualquer distância, sem prejuízo de som, já que o áudio poderá ser captado por meio de rádios comuns de pilha. Daí o nome do festival ser “Sintonize”. “Você pode estar bem distante da tela, mas sintonizado com o filme, por meio dos rádios de pilha”, finaliza Mary Land.