Novidades
Coluna Ludmila Abreu: Ano que se inicia
Mês de julho por aqui tem sempre uma conotação de recomeço, os meses seguintes à Páscoa são de baixa estação e comumente de chuvas; nesse período, Pipa se acalma
Cedida
Nova proposta da Refugo Galeria é produzir uma exposição por mês

>> Ano que inicia. O mês de julho por aqui tem sempre uma conotação de recomeço. Os meses seguintes à Páscoa são de baixa estação e comumente de chuvas. Nesse período, Pipa se acalma, muitos moradores e empresários viajam para visitar a família em outros países, dão férias a colaboradores ou aproveitam para reformar ou realizar manutenções. Mas, quando chega a metade do ano, tudo volta à vida outra vez. A passagem é brusca, como se fosse um réveillon. Em um dia, poucas pessoas nas ruas, quase melancólico. No dia seguinte, rua cheia, música, restaurantes e bares a todo vapor e praias cheias. A sensação é mesmo de que o ano se inicia em julho.

>> Festival Bossa & Jazz. Nada confirmado ainda, mas existem grandes chances de que este ano o Festival Bossa e Jazz aconteça na Praia de Pipa. Se der certo, será entre outubro e novembro e terá um formato diferente dos anteriores, já que não contaria com um palco principal único, mas diversos polos espalhados por vários pontos da cidade, vestindo a cidade de jazz e bossa.

>> Turismo de experiência. Termo que ainda causa estranheza para muita gente, mas que, na indústria do turismo, vem se tornando a cada dia mais necessário. Vista como a melhor forma de diferenciação na medida em que surfa na onda do autoconhecimento e geração de valor, até mesmo gigantes como a CVC tem buscado produtos do tipo para compor o seu cardápio de atividades. O difícil é conseguir comunicar de maneira eficiente, já que, para experenciar, é preciso se propor a sentir, provar, vestir, sair do cômodo lugar de degustador para ser o aprendiz de cozinha. Sendo assim, colocar na prateleira um produto “de experiência”, mas sem entender o processo, é o mesmo que dizer que a comida é saudável porque consta “sem gordura saturada” no rótulo.

>> SINTONIZE: FESTIVAL DE CINEMA E AUTOCONHECIMENTO. No último fim de semana de julho, a expressão “escurinho do cinema” vai ganhar outro significado em Pipa. É que – se São Pedro permitir – a tela principal do Sintonize vai ser armada nas areias da praia banhada pela lua cheia. Mas o grande diferencial do evento é a proposta de integração com Pipa e seus moradores, sejam eles nativos ou não. É comum recebermos eventos que chegam aqui prontos e fazem uso da fama e da ocupação turística do destino. Neste caso, além de estar sendo produzido por pessoas que vivem aqui, ainda deve contemplar em sua programação ações com e para a comunidade, contribuindo para o desenvolvimento das pessoas e do destino.

>> EXPOSIÇÃO E LANÇAMENTO. Apesar de Pipa abrigar vários artistas e, pela avenida Baía do Golfinhos, haver diversos ateliês, exposições de artes não são algo muito comum por aqui. A nova proposta da Refugo Galeria é produzir uma exposição por mês. Dois outros eventos do tipo já aconteceram no lugar no último ano. A novidade é que, a partir de agora, teria um calendário fixo. A primeira será de 26 a 28 de julho com a nova coleção de telas, ilustrações e aquarelas chamada “Caras e Sentimentos”, de Ludmila Abreu, e lançamento de coleção das jóias artesanais contemporâneas de Mayrles Emille.